top of page

Robótica com Sucata em São Paulo

Conheça o projeto da Professora Débora Denise Dias Garofalo, EMEF Almirante Ary Parreiras (São Paulo), que ficou em 2º lugar na categoria Ensino Fundamental do Prêmio de Robótica Educacional - Edição 2022.


Descrição da boa prática


O projeto Robótica com Sucata foi desenvolvido e estruturado para transformar a vida de crianças e jovens da periferia de São Paulo e traz ao palco a construção de utensílios reciclados do lixo retirado das ruas de São Paulo como forma de mediar a construção de conhecimento de conteúdos curriculares, de eletrônica e de robótica.


O projeto atuou diretamente na transformação da vida de 2000 jovens e crianças da comunidade escolar da rede pública, que participam ou já participaram do projeto. O trabalho foi organizado para mobilizar uma prática pedagógica e formativa, incentivando a aprendizagem dos estudantes por meio sua criatividade, estimulando, também, a experimentação de ideias e exploração de pesquisas para propor soluções locais à comunidade. Uma dessas soluções que se destaca é a reciclagem feita pela coleta de lixos de São Paulo que deram origem a construção de robôs e materiais de eletrônica.


O projeto ainda propôs a construção de carrinhos motorizados, robôs pessoais com placas programáveis como arduíno e microbit, máquina de refrigerante, aspirador de pó, entre outros. Desta forma, o Robótica com Sucata envolve diversas áreas do conhecimento, possibilitando uma aprendizagem mais ativa e atuante ao aluno.


Mais do que isso, o projeto ajudou a pensar a escola que não só produza conhecimento, como também traga contribuições locais, como: a retirada de lixo das ruas de São Paulo, uma tonelada de materiais recicláveis, transformando em protótipos com funcionalidades específicas, estimulando a responsabilidade social e o pensamento científico.


Impacto do projeto


Com a tecnologia mão na massa, cultura maker, o professor consegue fazer ligações e ir além, porque o estudante tem capacidade de lidar com problemas e trabalhar outras atividades entendendo que não é consumidor da tecnologia, mas produtor de tecnologia.


Ajudou tanto na diminuição da evasão escolar quanto com o problema do lixo na escola e, ainda, conseguiu motivar os alunos com problemas de indisciplina.


O aprendizado e a resolução de problemas sérios na comunidade e na vida dos estudantes. Um dos problemas era a questão do lixo e como transformá-lo em objeto de conhecimento, além de permitir que a autoestima desses meninos e meninas pudesse ser elevada, já que eles não se sentiam capazes de aprender robótica. Tentamos, assim, encontrar formas de traduzir sentimentos e dar voz à juventude da periferia.


À convite da Secretaria da Educação de SP, a professora pôde implementar o Componente de Tecnologia de Inovação para 3,5 milhões de estudantes no âmbito de 5000 escolas, estando a frente da construção da Diretriz desse Componente Curricular, dos materiais didáticos, troca do parque tecnológico e da adesão de kits de Robótica baseado no trabalho de Robótica com Sucata.


O trabalho de robótica com sucata tornou-se política pública e hoje atinge 5 mil 130 escolas estaduais de São Paulo, idealizando o Centro da Inovação Básica de São Paulo, sendo que a professora Debora é a Coordenadora da ação, com amplo diálogo com um grande número de parceiros em plena pandemia, que tem como missão a democratização do acesso a inovação a estudantes e professores.


---------------------------------


Inscrições abertas para a edição de 2023


As inscrições para o Prêmio Seymour Papert-Paulo Freire de Robótica Educacional estão abertas e podem ser feitas por professores de escolas públicas e privadas.


A ideia é reconhecer projetos de robótica que impactem positivamente no aprendizado dos estudantes. Basta ter um projeto com resultados relevantes, fazer todo o registro do seu percurso e provar com evidências esses resultados.


Se inscreva pelo formulário eletrônico https://forms.gle/iV2xo1AzPcjSTTs8A e faça o pagamento da taxa de inscrição.



Comentários


bottom of page